Sobre ler e escrever...

O que eu posso dizer sobre ler e escrever? Durante muito tempo sofri com a leitura.

Quando criança tive dificuldade de atenção e concentração, lembro de estudar com minha mãe horas e horas e não entender nada.

Fiz terapia com psicopedagoga, aulas particulares e nada parecia adiantar.

Mas parece que minha mãe não desistiu. E isso foi bom.

Aos poucos fui descobrindo o meu jeito de estudar, de ler e reler. Aos poucos fui entendendo a importância da repetição, da escrita, dos exercícios que achava chatos.

E numa mistura de medo de errar e tentar mesmo assim, fui melhorando e amadurecendo. Nunca foi fácil.

Descobri a arte e isso me ajudou a desabrochar em várias áreas.

Os estudos foram difíceis para mim, nunca fui aquela aluna aplicada ou “cdf”, sempre fui na média. E estava feliz assim e fui feliz assim.

No meio dos desafios, aprendi com meu pai como fazer uma redação. Sim, os professores estavam na escola para ensinar, mas era meu pai que me corrigia e indicava onde precisava melhorar e lia e relia toda minha redação sempre que pedia. Matemática nunca foi meio forte

No meu tempo de escola, conheci meus livros preferidos, histórias com muita aventura e mistério.

Meu tio Abrão em todo aniversário fazia questão de me dar um livro de presente. Íamos juntos na livraria e escolhia um livro e ficava toda feliz. Fez toda diferença para mim. Descobri há pouco tempo, que eu guardei um dos livros que tem até dedicatória dele. Uma relíquia maravilhosa. O livro chama Pipoca.



Parei de ler por um tempo. E não foi por falta de oferta, pois minha casa até hoje é cheia de livros. Mas nunca parei de escrever minhas coisas, meus diários, meus pensamentos.

A leitura e escrita foi se misturando com a arte, uma das minhas grandes paixões. Acabei usando a arte como forma de expressão e fiz vários cursos.

Quando comecei a trabalhar com meu pai tudo foi desafiador e fui tentando descobrir onde me encaixaria. Passei por todas etapas de uma empresa, aprendi um pouco sobre tudo, escrevi, desenhei, conversei, aprendi mesmo.

O tempo passou e senti a necessidade de fazer algo diferente e depois de um tempo resolvi criar e editar a Revista O Círculo e escrever diversos livros para crianças, mergulhando no universo infantil total.

Eu já conversava muito com meus filhos sobre livros e leitura. E vou te falar, tenho três tipos diferentes de crianças (adolescentes) aqui em casa e isso ajudou muito.

Sempre estimulei a leitura, tenho livros de todo tipos: judaicos em inglês e português, revistas e gibis, livros grandes e pequenos, com pop-up e musicais, livros enormes e livros curtinhos, enfim, para todos os gostos.

Aos poucos descobri na prática que a tarefa de educar, de ensinar e de transmitir que nós pais temos é muito importante. Mostrar e oferecer oportunidades. Dar suporte e apoio em todos os momentos. Não desistir e insistir. E isso vale para todas as áreas da vida.

A leitura e a escrita são formas de expressão que geram experiências únicas.

A maneira como vai aparecer e ficar na nossa vida é diferente para cada um e não tem problema. Ninguém precisa ser igual a ninguém, ninguém vive e experimenta as coisas da mesma maneira, ninguém pensa e se expressa da mesma maneira e assim por diante.


Como foi e está sendo seu processo de ler e escrever? Lembrando o passado podem aparecer memórias incríveis, não é mesmo?

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo