Judeus e comida: Uma pequena história


Por Milena H. Rosenbaum


Os judeus são frequentemente chamados de "Povo do Livro", mas percebi que realmente somos o Povo do Livro de Receitas!


Já reparou nisso?


Nossas receitas representam quem somos, de onde viemos e onde vivemos agora. Nossas escolhas alimentares são ditadas por nossa cultura e herança.


Você já se perguntou por que usamos nozes no charoset em Pessach? Por que o kreplach costuma ser servido na sopa em Yom Kippur? Por que o recheio de geléia é tradicional para oznei haman?


Eu comecei a pensar nessas perguntas sobre pratos tradicionais porque adoro cozinhar. E sabe que descobri? Que as respostas contam as histórias de comunidades judaicas de todo o mundo e através dos séculos.


Por exemplo, descobri que usamos nozes no charosset porque era isso que usavam no norte e no leste da Europa (a maioria dos imigrantes judeus na América do Norte e do Sul veio desta região).


Kreplach tinha como base uma tradição medieval de colocar o desejo de um ano novo em um amuleto de massa e selá-lo, esperando que nossas vidas fossem "seladas" no livro da vida do ano seguinte.


E a tradição de usar recheio de geléia no oznei haman foi iniciada para comemorar a absolvição de um comerciante de geléia de ameixa que foi acusado de envenenar um magistrado na Boêmia em meados do século XVIII.


São apenas alguns exemplos. Todo prato típico judaico tem muitas explicações e interpretações, que foram mudando ao longo dos anos e das gerações.


Mas e o que tem a ver cozinhar pratos típicos judaicos e filhos?


Ensinar a uma criança os pratos que têm seu coração e sua alma nas histórias de nossos ancestrais pode fornecer uma conexão com nossa herança que não será quebrada durante o período entre a idade adulta e a paternidade - um período que geralmente pode durar duas décadas.


Aprender as histórias por trás de nossa herança culinária e criar essas receitas nas férias - ou em qualquer dia em que quisermos manter uma memória próxima - nos permite manter nossa religião e história na vanguarda de nossos pensamentos.


Nada substitui aprender sobre a Torá ou estar envolvido na vida de uma sinagoga, mas cozinhar com uma criança cria memórias duradouras para vocês dois e abre a porta para uma conversa que irá reverberar por anos.


Lembranças de cozinhar com a vovó, com a mãe ou tia podem criar um impacto na vida da criança e suas memórias ficaram preenchidas com amor e carinho!



Matéria publicada na edição 09 da Revista O Círculo

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo