Conto Judaico: Uma mitzvá especial

LEIA ESTE CONTO JUNTO COM UMA CRIANÇA


No judaísmo existem muitas mitzvot (mandamentos), algumas conhecemos bem e outras nem tanto.

Você sabia que tem uma mitzvá especial de respeitar e honrar os pais? Temos várias maneiras de fazer essa mitzvá.


Na época do Segundo Templo Sagrado os tanaim (como eram chamados os sábios daquela época) perguntaram ao grande Rabi Elazar até que ponto deve-se mostrar respeito aos pais.

Então citou a história que aconteceu com um homem que mostrou a todos como respeitar os pais é sagrado.

Este homem era Dama ben Netina, ele comandava os soldados do rei e era muito importante, apesar de não ser judeu, respeitava muito os judeus.


Naquela época os sacerdotes usavam o peitoral (choshen), que era uma das oito vestes sacerdotais usadas pelo Sumo Sacerdote (Cohen Gadol) quando servia no Templo Sagrado. Exibia doze pedras preciosas, correspondendo às 12 Tribos de Israel, e servia como um meio através do qual D’us provinha direção à nação judaica.


Aconteceu que certa vez, uma das pedras preciosas do peitoral do Sumo Sacerdote caiu e se perdeu. Rapidamente os sábios foram em busca de outra para substituí-la e ficaram sabendo que um homem da província vizinha possuía a jóia exata para isso.


Os sábios ofereceram cem dinares ao homem, e ele aceitou a oferta. Porém quando foi buscar a jóia em seu quarto, percebeu que a chave do cofre onde geralmente ficavam as jóias, estava embaixo do travesseiro em que seu pai estava dormindo, e não poderia pegá-la sem acordá-lo.

Então voltou e informou aos sábios que não poderia fornecer o item que precisavam. Os sábios acharam que o homem estava querendo negociar o preço e ofereceram mais dinheiro até chegar a soma máxima de 1000 dinares, mas mesmo assim cada vez que aumentavam a oferta menos ele aceitava.


Quando o pai finalmente acordou, ele lhes trouxe a jóia e estava disposto a aceitar a oferta inicial de 100 dinares. Os sábios queriam pagar os 1000 dinares mas não teve jeito, o homem recusou.


Os sábios não entenderam e então o homem explicou: “Eu me recusei a vender porque não queria acordar meu pai. Por que deveria lucrar ao mostrar respeito pelo meu pai? É um ato meritório por si mesmo. Era meu dever, e não devo lucrar com isso.”


Aprendemos dessa história a importância da mitzvá de respeitar os pais. Não acordá-los quando estão dormindo é uma maneira de respeitar essa bonita mitzvá.



Esse conto esta na Guimara, Talmud Yerushalmi, Pea.

Publicado no primeira edição da Revista O Círculo


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo