Alfabetização: aprendendo com livros e cartilhas


Alfabetização

Por definição, a alfabetização é um processo de aquisição de técnicas e procedimentos necessárias para a prática de leitura e da escrita, ou seja, é o desenvolvimento das habilidades de codificação de fonemas em grafemas e de decodificação de grafemas em fonemas.

Geralmente professores e alunos estabelecem uma relação que se pauta em estratégias para compartilhar esse conhecimento, usando meios e ferramentas para facilitar a atenção e o entendimento das crianças, adolescentes e adultos em uma sala de aula.


Cartilhas e primeiros livros

Como complemento são utilizadas cartilhas e os livros didáticos, sendo de extrema importância para a exposição de ideias, exercícios de fixação, utilização de imagens, letras de música, trechos de obras literárias e outros atrativos que procuram auxiliar na divulgação dos conteúdos que se referem à faixa etária indicada.

Quem aqui pode se lembrar de algum livro didático ou cartilha que tivesse marcado sua vida?

Embora hoje pareça um pouco distante falar de materiais impressos, principalmente porque estamos em plena era tecnológica, o formato de material ao qual estamos acostumados no processo de alfabetização não vai acabar. Os objetos eletrônicos são bem-vindos, mas ainda fazem parte de uma minoria. Sendo assim, vamos reforçar a importância que as cartilhas e os livros didáticos representam na alfabetização.


A escolha de um bom livro didático

Geralmente a alfabetização se inicia na escola e os professores devem ficar atentos a alguns critérios determinantes na escolha dos materiais que vão utilizar com a turma que será atendida.

Alguns dos principais itens a ser levado em consideração são: qualidade, coerência e objetivo educacional da escola.

Mas essa missão de escolher um livro didático que contemple as necessidades dos alunos não é algo simples. É preciso que seja feita uma análise criteriosa acerca do conteúdo abordado no objeto.


E as cartilhas?

Esse tipo de material também é fundamental no processo da alfabetização. Afinal, é possível observar muitos elementos que impulsionam o conhecimento dos alunos.

Para se ter uma ideia, as cartilhas podem ser divididas em três grupos. De acordo com estudo da Câmara dos Deputados (Alfabetização Infantil: Os novos caminhos):

– Cartilhas do tipo tradicional, que seguem uma estrutura próxima ao método alfabético e/ou de silabação. Os textos usados nessas cartilhas geralmente apresentam a palavra ou sílaba de cada aula;

– Cartilhas que apresentam textos e atividades voltadas, sobretudo, para a compreensão, com alguns poucos exercícios relacionados à formação ou leitura de palavras;

– Cartilhas cuja estrutura e textos demonstram afinidade com o princípio fônico.


Outros recursos

Sobre os recursos gráficos, é válido ressaltar que quanto mais interativo o livro didático e as cartilhas, maiores serão as chances de o material exercer grande influência sobre o processo de alfabetização dos estudantes, principalmente crianças. No entanto, o professor é quem deve obter o domínio da situação, orientando os alunos com o material que disponibiliza.


O importante é entender que o trabalho de alfabetizar é uma junção de estratégias adotadas por professores, assim como a escolha dos livros e das cartilhas que farão parte dessa importante dinâmica.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo